Sábado, Dezembro 3, 2022
InícioFestivaisCaminhos do Cinema PortuguêsMato Seco em Chamas vence Caminhos do Cinema Português

Mato Seco em Chamas vence Caminhos do Cinema Português

Mato Seco em Chamas, o filme incendiário de forte pendor político, co-realizado por Adirley Queirós e Joana Pimenta, foi o vencedor da XXVIII edição dos Caminhos do Cinema Português, com o Grande Prémio Cidade de Coimbra. O júri oficial constituído por Miguel Nunes, Leonor Silveira, Sónia Balacó, Miguel Ribeiro e José Maçãs de Carvalho sublinhou que “a sensualidade, a resistência e a chama da revolução ardem entre petróleo, música e corpos que próximos sugerem outros futuros”. O filme venceria ainda o prémio de Melhor fotografia.

Fogo-Fátuo (Terratreme)

Para melhor ficção, júri escolheria a comédia musical queer, Fogo Fátuo, de João Pedro Rodrigues, premiando ainda a direcção artística de João Rui Guerra da Mata e melhor guarda-roupa (Patrícia Dória). Já o melhor documentário foi atribuído à reflexão sobre os ecos da arquitectura escondidos em Atrás Dessas Paredes, de Manuel Mozos.

Jacqueline Corado, Lua Michel e Ana Padrão (Midas Filmes)

Alma Viva, de Cristèle Alves Meira, e representante nacional aos Óscares, acabaria por ser o filme mais premiado, vencendo nas categorias de melhor realização (Cristéle Alves Meira), acumulando ainda o prémio do público, o de melhor argumento original (dividido entre a realizadora e Laurent Lunetta). No plano interpretativo distinguiu ainda a jovem actriz Lua Michel, com o prémio revelação, e Ana Padrão, como a melhor interpretação secundária (a interpretação principal caberia a Pedro Fasanaro, de Deserto Particular). O filme receberia ainda o prémio atribuído pelos cine-clubes.

Viagem ao Sol (Kintop)

O prémio de melhor animação confirmou a qualidade de Ice Merchants, de João Gonzalez (também melhor som). E o talento promissor de Rita Barbosa, na melhor curta 2ª Pessoa. O prémio imprensa foi entregue ao documentário Viagem ao Sol, de Susana Sousa Dias e Ansgar Schafer, sobre a experiência das crianças austríacas em Portugal após a 2ª Guerra Mundial. E o melhor filme da secção Ensaios foi para Objectos de Luz, de Acácio de Almeida e Marie Carré.

Objectos de Luz (Bando à Parte)

 

Palmarés Festival Caminhos do Cinema Português 

Seleção Outros Olhares:

Melhor filme: Objetos de Luz (Acácio de Almeida e Maria Carré)

Menção Honrosa: Luana (Maria Simões e Tiago Melo Bento)

Seleção Ensaios:

Menção Honrosa Ensaio Internacional: The Midwife (Anne-Sophie Bailly)

Melhor Ensaio Internacional: Ventanas (Jhon Ciavaldini)

Menção Honrosa Ensaio Nacional de Animação: Rua do Caneiro (Leonor Faria Henriques)

Melhor Ensaio Nacional de Animação: A Maior Gaiola do Mundo (Marta Ribeiro, Catarina Colaço)

Menção Honrosa Ensaio Nacional: No Fim do Mundo (Abraham Escobedo-Salas)

Melhor Ensaio Nacional: Mistida (Falcão nHAGA)

 Imprensa:

Menção Honrosa: Às Vezes os Dias, Às vezes a Vida (Janine Gonçalves)

Prémio de Imprensa: Viagem ao Sol (Ansgar Schaffer e Susana de Sousa Dias)

Federação Internacional de Cineclubes:

Menção Honrosa: Garrano (David Doutel & Vasco Sá)

Prémio D. Quijote: Alma Viva (Cristèle Alves Meira)

Seleção Caminhos:

Melhor Som: Ed Trousseau (Ice Merchants)

Melhor Realização: Cristèle Alves Moreira (Alma Viva)

Melhor Montagem: Miguel da Santa (Aos Dezasseis)

Melhor Guarda-Roupa: Patrícia Dória (Fogo Fátuo)

Melhor Fotografia: Joana Pimenta (Mato Seco em Chamas)

Melhor Direção Artística: João Rui Guerra da Mata (Fogo Fátuo)

Melhor Cartaz: Tiago Carvalho (Aos Dezasseis)

Melhor Caracterização: Sofia Frazão (A Rapariga Imaterial)

Melhor Banda Sonora Original: Carlos Guerreiro e Manuel Riveiro (Os Demónios do Meu Avô)

Melhor Argumento Original: Cristéle Alves Meira e Laurent Lunetta (Alma Viva)

Melhor Interpretação Secundária: Ana Padrão (Alma Viva)

Melhor Interpretação Principal: Pedro Fasanaro (Deserto Particular)

Prémio FSS Revelação: Lua Michel (Alma Viva)

Prémio União de Freguesias de Coimbra Melhor Curta-Metragem: 2ª Pessoa (Rita Barbosa)

Prémio Turismo do Centro Melhor Animação: Ice Merchants (João Gonzalez)

Prémio Universidade de Coimbra Melhor Documentário: Atrás Dessas Paredes (Manuel Mozos)

Prémio Cidade de Coimbra Melhor Ficção: Fogo Fátuo (João Pedro Rodrigues)

Grande Prémio Cidade de Coimbra: Mato Seco em Chamas (Joana Pimenta e Adirley Barbosa)

Prémio do Público Crisótubos: Alma Viva (Seleção Caminhos), Cesária Évora (Outros Olhares), Midnight Glow (Ensaios)

Paulo Portugal
Paulo Portugal
Insider Cinema, festivais, entrevistas e críticas. E algo mais.
RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -
Google search engine

Most Popular

Recent Comments