Maio 29, 2020

Spamflix: Quem disse que não se deve ver um filme no telemóvel?

Crumbs, Miguel Llansó

O cantinho do cinema de culto, para nerds, geeks e afins. Só pagas o que consomes. 3€ por filme. Mas atenção aos packs (a preço de saldo)!!!

Spamflix, uma alternativa à Netflix? You bet! Se não gostas que te metam a comida na boca ou te digam o que deves ver (e onde deves ver!) então dá uma espreitadela no site Spamflix. Aqui não há fidelização, é o preço fixo (3 paus por fita). Apesar do catálogo não ser ainda muito vasto, apresenta já alguns argumentos para se afirmar como alternativa na ‘guerra do streaming’, definitivamente uma forma de ver cinema que veio para ficar.

Desde logo, é possível selecionar conteúdo de autores portugueses, como sucede no pack de curtas do António Ferreira, ou de Embargo, inspirado num livro de José Saramago (Objeto Quase), ou até a presença da incursão de José Pedro Lopes no território de horror, em A Floresta das Almas Perdidas, de 2017. Portugal tem ainda outras representações, como uma participação de PêPê Rapazote na co-produção The 90 Minute War, em que o conflito israelo-palestino é decidido num jogo de futebol.

Vale a pena recuperar as pequenas retrospectivas de alguns autores, muitos deles com uma ligação ao IndieLisboa. O canadiano Denis Coté  é um exemplo incontornável, com a possibilidade de ver diversos filmes da primeira parte da sua carreira (incluindo Bestiaire). Destaque ainda à muito robusta presença do novo cinema brasileiro com diversos nomes. Desde logo, a dupla Juliana Rojas e Marco Dutra, também com trabalhos individuais. A seguir ainda para a animação cáustica de Otto Guerra e o trabalho de Caetano Gotardo (O Que se Move, de 2013, também já exibido no IndieLisboa).

Para digerir ainda o nonsense de Quentin Dupieux (também com passagem no Indie), o culto de Alex Cox (para conhecer melhor o autor de Repo Man) e o cinema subversivo do japonês Sion Sono (do qual chamamos a atenção para The Sion Sono, um documentário sobre o realizador). Ou para quem não viu, pode agora recuperar o ótimo Berberian Sound Studio, de Peter Strickland, ou o excelente Crumbs, do espanhol Miguel Llansó, um saboroso filme apocalíptico, filmado na Etiópia, com um cheirinho a Terry Gilliam. Sim, propostas de culto não faltam.

Já agora o Insider dá uma ajuda e sugere a alguns leitores a possibilidade de ver um filme à pala. Basta para isso, responder nos comentários do artigo na página Facebook do Insiderfilm, escolhe o filme que mais gostava de ver e explicar porquê.

 

 

Sobre Paulo Portugal 860 artigos
Insider Cinema, festivais, entrevistas e críticas. E algo mais.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


Google Analytics