Julho 19, 2018

Reportagem Multimédia: O coração da revolução

No Intenso Agora
O cinema-ensaio de João Moreira Salles
O jovem usa o braço como catapulta e parece querer atirar a revolta contida para longe (Paris, Maio de 68).

 

Não é um filme, não é um documentário. É um essay analítico sobre o poder que o tempo confere às imagens em movimento. João Moreira Salles parte do home movie caseiro captado pela mãe durante uma viagem à China para abordar o movimento revolucionário de Maio de 60, em Paris, o olhar furtivo na ressaca da Primavera de Praga. Ou até o eco ensurdecedor disto tudo na atualidade, a partir da revolta estudantil de 2013 no Brasil. 

É essa premissa de interrogar a verdade das imagens, de as especular à maneira de Chris Marker, que se abrem novos campos de interrogação, investigação ou interpretação. É por tudo isto que João Moreira Salles, mesmo sem ter filmado um frame, toca a genialidade No Intenso Agora.

 


Foi no cinema Ideal, em Lisboa, que falámos com João Moreira Salles a 22 de março de 2018. E, se afinal de contas, o filme fosse o pretexto para redescobrir a sua mãe?
No cinema Ideal, com Cíntia Gil, do DocLisboa, em março de 2018

 

 

 “Ela em vez de negar o que vê, aceita e se encanta; isso tocou-me bastante”

 

 

 

Sobre Paulo Portugal 640 artigos
Insider Cinema, festivais, entrevistas e críticas. E algo mais.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


Google Analytics