Setembro 20, 2018

Michael Haneke: movimento #MeToo gerou caça às bruxas e ódio masculino

O Cineasta austríaco, duas vezes premiado com a Palma de Ouro em Cannes, declarou que o movimento feminista #MeToo levou a uma caça das bruxas pautada pelo ódio aos homens.

Depois da atriz Catherine Deneuve ser criticada pelos comentários feitos ao movimento #MeToo, ao condenar o grupo pelo o que considera ser um “puritanismo exarcebado”, o realizador Michael Haneke, autor de Happy End (2017), Nada a Esconder (2005) e Amor (2013), resolveu opinar sobre o assunto em uma entrevista ao jornal austríaco Kurier.

O realizador declarou que “qualquer forma de abuso ou coerção deve ser punida”, mas que “este novo puritanismo pautado por um ódio contra os homens, devido ao movimento #MeToo deixa-me preocupado”. Para Haneke, o número de vítimas ou alegações que o movimento incentivou, levou a um pré-julgamento dos envolvidos nestas situações, e que chega a uma “cruzada contra qualquer forma de erotismo” comparável à Idade Média.

Michael Haneke

Michael Haneke (Getty Images)

O movimento #MeToo tem sido transformador na indústria do entretenimento e as mulheres envolvidas na sua propagação foram eleitas como Pessoa do Ano de 2017 pela revista Time. Mais informações sobre os casos aqui no insider.pt!

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


Google Analytics