Outubro 26, 2020

A Fábrica de Nada vence Festival de Cinema Europeu em Sevilha

A Fábrica de Nada, de Pedro Pinho

Soma e segue, pode dizer-se. Sim, o filme de Pedro Pinho acaba de somar mais um prémio, desta vez no Festival de Sevilha, ao ganhar o Giraldillo de Oro, o prémio mais importante do Festival de Cinema Europeu. O júri da seleção oficial formado por Fernando Franco, Thomas Arslan, Agatha Bonitzerse, Paolo Moretti e Valerie Delpierre justificou a escolha ao considerar que A Fábrica de Nada é “a reflexão sobre uma crise económica experimentada em muitos países europeus “.

Depois de ter sido exibido na Quinzena dos Realizadores em Cannes e de vencer o prémio FIPRESCI, este filme de três horas sobre o destino de uma fábrica tomada em autogestão pelos trabalhadores para evitar que fosse encerrada tem colhido o aplauso geral e obtido diversos prémios nos festivais por onde tem passado (Duhok, Miskolk, Munique).

Segundo informa a Terratreme, o filme vai ter ainda estreia comercial em países como França (13 de Dezembro), Espanha, Reino Unido, Sérvia, Croácia, Bósnia, Kosovo, Suíça, Brasil, Argentina e China.

Já o prémio da melhor realização foi entregue a Mathieu Amalric pelo seu trabalho em Bárbara, um filme documental misturado com ficção em que se redescobre este nome mítico da canção francesa. Um filme que recorda o trauma da cantora judia Bárbara depois de ser perseguida pelo fascismo e de sofrer abusos do pai. Apesar disso, acabou por cantar o amor e a reconciliação franco-alemã.

O grande prémio do júri foi para Western, de Valeska Grisebach, que será exibido também no LEFFEST, ainda com uma menção especial para a co produção Zama, de Lucrecia Martel, com fotografia de Rui Poças. O prémio do melhor argumento foi entregue a Thierry de Peretti pelo filme francês A violent life.

No plano interpretativo, a italiana Selene Caramazza venceu o prémio de melhor atriz, por Corazón puro e Pio Amato, o não-ator A ciambra, de Jonas Carpignano, que também virá a Lisboa para o LEFFEST.

Por fim, o prémio do público e da secção EFA foi entregue a Insyriated, de Philippe Van Leeuw, ao passo que o cineasta sevilhano Manuel Muñoz Rivas recebeu o prémio especial para cineastas castelhanos com o filme El mar nos mira de lejos.

Palmarés

GIRALDILLO DE ORO

A fábrica de nada, de Pedro Pinho

GRANDE PRÉMIO DO JÚRI

Western, de Valeska Grisebach

MENÇÃO ESPECIAL

Zama, de Lucrecia Martel

PRÉMIO MELHOR REALIZAÇÃO

Barbara, de Mathieu Amalric

PRÉMIO MELHOR GUIÃO

A Violent Life, de Thierry de Peretti

PRÉMIO MELHOR ACTRIZ

Selene Caramazza por Corazón puro

PRÉMIO MELHOR ACTOR

Pio Amato por A Ciambra

GRANDE PRÉMIO DO PÚBLICO

Insyriated, de Philippe Van Leeuw

PREMIO EURIMAGES PARA A MELHOR CO-PRODUÇÃO EUROPEIA

L’intrusa, de Leonardo di Costanzo

Sobre Paulo Portugal 874 artigos
Insider Cinema, festivais, entrevistas e críticas. E algo mais.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


Google Analytics