Outubro 31, 2020

KVIFF: Little Crusader é vencedor surpresa! Mas para a imprensa foi o pior filme!

Vaclav Kadrnka, realizador de Little Crusader (Foto Jan Handrejch)

Filme sobre a criança cruzado vence Globo de Cristal e prémio monetário de 25.000 dólares

O filme checo Little Crusaderde Václav Kadrnka foi o vencedor do Globo de Cristal na 52ª edição do Karlovy Vary Film Festival. Quebra-se assim o enguiço de quinze anos em que um filme local não ganhava este prémio. Naturalmente, o realizador não cabia de contente: “Estou delirante! Havia muita incerteza em relação a este filme desde o inicio; foi uma longa jornada, mas estou satisfeito que o filme tenha criado emoções”, declarou Václav Kadrnka.

No entanto, esta não deixa de ser uma escolha algo insólita. Pelo menos de acordo com a opinião de muitos jornalistas que assinalavam Little Crusader como aquele que obtinha a classificação mais baixa numa pool de críticos internacionais, sendo que um deles lhe atribuiu mesmo a nota mais baixa. De resto, durante a sessão de imprensa foram muitos os que optaram por abandonar a sala, provavelmente, pouco entusiasmados com o ritmo lento e as soluções estéticas apresentadas. Enfim, a opinião da imprensa vale o que vale. Mas não deixa é de ser opinião. Porque de acordo com a opinião dessa mesma pool, o filme russo Arrhythmia seria, de longe, o vencedor.

Little Crusader colhe inspiração num poema infantil sobre um mito em que, supostamente, exércitos de crianças cristãs teriam seguido rumo à Terra Santa para expulsar os muçulmanos. No entanto, o filme opta por não aflorar diretamente este tema e centra-se antes na deriva do garoto, depois de abandonar o castelo do pai e seguir com a intenção de alcançar esse destino. Por seu turno, o pai sai na sua peugada.

Os restates prémios foram assim atribuídos:

O prémio especial do júri foi para o drama de guerra Men Don’t Cry do realizador bósnio Alen Drljević; o prémio de realização foi para o cineasta eslovaco Peter Bebjak, que apresentou o filme The Line. No capítulo interpretativo, o prémio de melhor atriz foi para Jowita Budnik e Eliane Umuhire pelo drama polaco Birds Are Singing in Kigali, ao passo que o ator russo Alexander Yatsenko foi considerado o melhor ator no filme Arrythmia.

Os membro do júri decidiram ainda atribuir duas menções honrosas – ao americano Keep The Change pela melhor estreia e à atriz romena Voica Oltean pela estreia em Breaking News.

Sobre Paulo Portugal 874 artigos
Insider Cinema, festivais, entrevistas e críticas. E algo mais.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


Google Analytics