Outubro 28, 2020

Homem Aranha – Regresso à Casa: era uma vez um ‘nerd’ esforçado

Homem-Aranha: Regresso a Casa

O Homem Aranha é o herói da Marvel com mais versões cinematográficas. Primeiro o inesquecível Tobey Maguire, depois o criticado Andrew Garfield; chegou a vez do inesperado Tom Holland levar Peter Parker ao grande ecrã. A terceira versão adaptada para os cinemas não desilude e entrega ao público as expectativas criadas no imenso marketing feito ao redor do filme.

Desde o princípio, a proposta era apresentar o herói de uma forma nunca antes vista: Peter Parker no secundário, garoto nerd e esforçado, que fabricava o próprio lançador de teias, algo que nós somente vimos na BD. O elenco e o argumento contribuíram para um bom desenvolvimento de Peter Parker. Quem estava preocupado sobre Tony Stark, o Homem de Ferro, tomar conta e controlo do filme com a sua participação, pode ficar descansado. Este é um filme inteiramente sobre Peter Parker.

O argumento é direto e claro. Não há rodeios. Não é preciso mostrar a origem do Homem Aranha, porque isto toda a gente já sabe. Partindo dos acontecimentos de Os Vingadores 2: A Era de Ultron e de Capitão América: Guerra Civil, a história foca-se no desenvolvimento de Peter Parker como Homem Aranha. Isto é um ponto positivo justo, pois é importante lembrar que ele ainda é miúdo, e que não tem maturidade suficiente para lidar com as situações risco – o que evolui ao longo do filme.

A verosimilhança não pára por aí. Homem Aranha – Regresso à Casa aborda as consequências das batalhas entre heróis e alienígenas, um assunto importante que raramente é retratado de forma coerente ou decente nos filmes. O vilão Volture, por exemplo, é resultado duma realidade modificada pelos super-heróis. Isto é bem desenvolvido e resulta num vilão humanizado. É fácil sentir empatia por ele, uma vez que as suas razões, não justificáveis, envolvem a sua família. O filme apresenta-o sem o medo de que nos simpatizemos mais com ele do que com Peter Parker.

O visual e a fotografia são bonitos, e colaboram bastante para criar um clima mais amigável, adolescente e familiar para o filme – que é bastante fiel à campanha de marketing . O elenco também é um dos pontos positivos, pois os atores se encaixam, sem muita dificuldade, às suas personagens.

Infelizmente, algumas ficamos com a sensação de que algumas cenas são cortadas abruptamente, além duma cena específica em que a música é mais alta que o diálogo. Isto não atrapalha a compreensão do filme, e pode até mesmo passar desapercebido, mas incomoda.

No geral, Homem Aranha – Regresso à Casa é satisfatório. É um filme para a família e para fãs das bandas desenhadas do herói. A famosa fórmula Marvel ainda funciona, e o humor é bem balanceado na maior parte do filme – embora falhe duas ou três vezes. Não há grandes defeitos, mas também não é um filme grandioso.

 

  • Classificação

Um resumo

Homem Aranha – Regresso à Casa é satisfatório e atende às expectativas do público. A boa escolha do elenco e o argumento bem escrito colaboram para que seja um filme simples e objetivo. É uma boa escolha para ver com a família.

Sobre Ana de Oliveira 36 artigos
Escritora, poeta, jornalista e mais uma data de coisas.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


Google Analytics