Setembro 18, 2018

FEST: fica bem o Lince de Ouro a ‘Filthy’

Filthy, de Tereza Nvotová, vencedor do Lince de Ouro, FEST 2017

O perturbador drama Filthy, da eslovaca Tereza Nvotová, sobre uma crise pessoal motivada por uma violação, venceu o Lince de Ouro, da 13ª edição do FEST – Novos Realizadores, Novo Cinema, o festival que decorreu em Espinho desde o passado dia 19. Uma vitória que lhe assenta bem, já que se tratou de um dos filmes mais interessantes da programação.

De salientar ainda as menções honrosas para Old Stone, do chinês Johnny Ma e ainda para o espanhol, La Mano Invisible ou The Invisible Hand, de David Mácian. O impressionante documentário The Road Movie, de Dmitrii Kalashnikov, sobre os actos mais insólitos captados por câmaras no interior dos automóveis, venceu na categoria de melhor documental.

Termina assim uma semana memorável em que o cinema se assumiu na sua componente de eterna aprendizagem e lugar de permanente networking. Seja a seguir as diferentes mostras do programa, bem como a acompanhar as inúmeras master classes e workshops do Training Ground com muitos técnicos de renome internacional convidados a dar formação ou ainda nas sessões do Pitching Fórum, onde existiu a oportunidade de apresentar projetos em diferentes fases de produção a produtores e ganhar assim uma possibilidade de os concretizar.

Nesse sentido, o FEST é um festival que se destaca claramente por motivar centenas de estudantes e gente do cinema de todo o mundo que tem já reservada no seu calendário esta semana para passar em Espinho. Uma aposta ganha pelo diretor Filipe Pereira, bem como pela participação na seleção produção executiva de Fernando Vasquez, e de toda a equipa que torna cada vez mais incontornável este festival no panorama europeu.

Naturalmente, nem tudo é perfeito. Talvez uma adesão maior de estudantes portugueses a esta comunhão de interesses internacionais ajudasse a inscrever o FEST na agenda nacional de realizadores, produtores, atores ou jornalistas. No entanto, um dado é mais um menos adquirido, pelo menos com quem fomos falando ao longo desta semana: é que para o ano voltarão a marcar presença em Espinho.

Aqui fica o palmarés completo do 13º FEST:

 

FEST . NOVOS REALIZADORES | NOVO CINEMA
PALMARÉS

LINCE DE OURO

Melhor Longa-metragem de Ficção
Filthy, de Tereza Nvotová (República Checa)

Menções Honrosas
Old Stone, de Johnny Ma
The Invisible Hand, de David Mácian
Júri Lince de Ouro Ficção:
Richard Morrison, designer de títulos
Nicole Quinn, actriz, realizadora e argumentista
Xavier Garcia Puerto, curador de cinema e vídeo, gestor cultural

Melhor Longa-metragem de Documentário
The Road Movie, de Dmitrii Kalashnikov (Bielorrússia)

Júri Lince de Ouro Documentário:
Manuel Mozos, realizador
Salomé Lamas, realizadora
Ángel Sánchez, produtor

PRÉMIO DO PÚBLICO

Melhor Longa-Metragem
Sacred Water, de Olivier Jourdain (Bélgica)

Melhor Curta-Metragem
A Instalação do Medo, de Ricardo Leite (Portugal)

LINCE DE PRATA

Melhor Curta-Metragem de Ficção
Downside Up, de Peter Ghesquiere (Bélgica)

Menção Honrosa
A New Home, de Žiga Virc (Eslovénia)
Júri Lince de Prata Ficção:
Lucy Brown, produtora de cinema e televisão
Diogo Costa Amarante, realizador

Melhor Curta-metragem de Documentário
Homeland, de Sam Peeters (Belgica)

Menção Honrosa
Without Sun, de Paul de Ruijter (Holanda)
Júri Lince de Prata Documentário:
Manuel Mozos, realizador

Melhor Curta-metragem Experimental
Apocalypse, de Justyna Mytnik (Polónia)

Menções Honrosas
As The Jet Engine Recalls, de Juan Palacios (Espanha)
Simba in New York, de Tobias Sauer (Alemanha)

Melhor Curta-metragem de Animação
Antarctica, de Jeroen Ceulebrouck (Bélgica)

Menções Honrosas
Locus, de Anita Kwiatkowska-Naqvi (Polónia)
Pussy, de Renata Gasiorowska (Polónia)

Júri Lince de Prata Animação e Experimental:
Edward Lachman, director de Fotografia
Manuel Damásio, Académico

GRANDE PRÉMIO NACIONAL

Melhor Curta-metragem Portuguesa
Maria Sem Pecado, de Mário Macedo (Portugal)

Menções Honrosas
Um Refúgio Azul, de João Lourenço (Portugal)
78.4 Rádio Plutão, de Tiago Amorim (Portugal)

Júri Grande Prémio Nacional:
David Turner, director de pós-produção
José Quinta Ferreira, académico

NEXXT

Bond, de Judit Wunder (Hungria)

Júri NEXXT:
Dominic Briere-Edney, realizador e produtor de documentário e TV
João Sousa, realizador de animação

FESTINHA

Prémio Sessão 1 . 3 aos 6 anos
Lilou, de Rawan Rahim (Líbano)

Prémio Sessão 2 . 3 aos 6 anos
Pas a Pas, de Charline Arnoux, Mylène Gapp, Florian Heilig, Mélissa Roux, Léa Rubinstayn (França)

Prémio Sessão 3 . 7 aos 12 anos
Way of Giants, de Alois di Leo (Brasil)

Prémio Sessão 4 . 12 aos 17 anos
Schlboski, de Tomás Andrade e Sousa (Portugal)

Sobre Paulo Portugal 666 artigos
Insider Cinema, festivais, entrevistas e críticas. E algo mais.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


Google Analytics