Julho 19, 2018

As You Are: os últimos dias de uma geração

As You Are

“Come as you are, as you were, as I want you to be
As a friend, as a friend, as and old enemy
Take your time, hurry up, the choice is yours, don’t be late
Take a rest as a friend as and old memoria”,

in Come as You Are (Nirvana, Nevermind, 1991)

As You Are funciona como uma maturação da curta anterior de Miles Joris-Peyrafitte, As a Friend, filmada apenas dois anos antes. Com a curiosidade de ambas remeterem de forma mais ou menos direta para o badalado tema dos Nirvana. Na verdade, Peyrafitte terá, salvo erro, a mesma idade desse tema, ainda que isso pouco importe, já que esta história coming of age é tão intemporal como a angst partilhada nos temas dos Nirvana ou das personagens do cinema de Gus Van Sant.

Outro aspecto interessante é que Peyrafitte não parece sentir esse generation  gap, já que revela afundamento maturidade no tratamento visual e narrativo dessa história, aliás, devidamente brindado com o prémio do júri, em Sundance, onde o filme teve estreia mundial.

Esta será sempre uma história de dor e amizade. E de descobertas, como diz a música de Kurt Cobain. Com a particularidade de ser entrelaçada com uma investigação que vamos acompanhando com os excertos dos vídeos gravados pela investigação policial. E é por aí que o trabalho do jovem realizador se liga bem com a anterior curta e com o argumento de Madison Harrisson, ele próprio protagonista em As a Friend. De resto, ambas as personagens Jack e Mark regressam na longa.

Reproduzimos os versos iniciais do tema dos Nirvana porque nos parecem uma espécie de inspiração para essa amizade que se autodevorou. Tal como a morte de Cobain evocada numa cena do filme. Jack e Mark, agora Owen Campbell e Charlie Heaton conhecem-se através dos pais (Scott Cohen e Mary Stuart Masterson) quando decidem juntar-se e viver como uma família. É a música, os charros, algumas sementes de violência. O costume, como forma de acordar para o mundo real. Um universo de descoberta também do ponto de vista sexual, que faz despertar maiores incertezas em Jack quando Mark o beija para lhe mostrar como era. Pelo meio teremos ainda o elemento feminino, ainda que não caiba aqui qualquer referência ao triângulo amoroso na linha de Jules e Jim.

As You Are, mais um filme exibido no FEST a concurso para o Lince de Ouro, serve bem como recuperação do verdadeiro filme indie, ainda que o lado demasiado referencial retire parte dessa frescura. Uma lição bem estudada que passa pelo intenso Elephant e em particular pelo esquecível The Last Days Últimos Dias, o filme sobre os últimos dias de Kurt Cobain.

Sobre Paulo Portugal 640 artigos
Insider Cinema, festivais, entrevistas e críticas. E algo mais.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


Google Analytics