Junho 16, 2019
insider

IndieLisboa: Miguel Clara Vasconcelos vence com filme sobre a praxe

Encontro Silencioso, de Miguel Clara Vasconcelos

O Grande Prémio Cidade de Lisboa, da competição internacional, foi para Viejo Calavera, do boliviano Kiro Russo.

O boliviano Kiro Russo venceu o Grande Prémio Cidade de Lisboa, o mais relevante IndieLisboa, com Viejo Calavera, a sua estreia na longa a metragem, depois de já ter vencido por duas vezes em Lisboa na secção de curtas (uma foi o ano passado, com Nueva Vida). Trata-se de um ensaio que combina de uma forma elegante o ambiente documental com a ficção, para ilustrar uma narrativa no ambiente mineiro na Bolívia. O júri da competição internacional premiou ainda o brasileiro Arábia, de Affonso Uchôa e João Dumans. O Grande Prémio da competição internacional foi para Close Ties, de Zofia Kowalewsla, da Polónia, numa abordagem familiar.

No plano nacional, o grande vencedor da noite foi Miguel Clara Vasconcelos, com Encontro Silencioso, também ele um habitué do Indie, também ele a estrear-se no grande formato, tendo por base uma reflexão dos exageros das praxes académicas e, por conseguinte, com um episódio levemente inspirado na tragédia do Meco. A melhor curta foi Miragem Meus Putos, de Diogo Baldaia, numa abordagem dos ritos de passagem para a adolescência.

Uma outra curta, Flores, de Jorge Jácome, receberia ainda o prémio Novo Talento, ao passo que a co-produção documental luso-francesa Os Corpos que Pensam, de Catherine Boutaud, obteve o prémio da secção Novíssimos. Antão, o Invisível, de Maya Kosa e Sérgio da Costa, e Num Globo de Neve, de André Gil Mata, obtiveram ambos o prémio Árvore da Vida, outorgado pela Igreja Católica.

O documentário do experimentalista Tony Conrad: Completely in the Present, de Tyler Hubby, recebeu o prémio Indie Music. Finalmente, o prémio do público foi para a co-pridução dinamarquesa e norueguesa Venus, de Lea Glob e Mette Carla Albrechtsen.

De registar que os filmes premiados poderão ser vistos no Cinema Ideal, em sessões especiais nos próximos dias 15, 16 e 17, às 18h00 e 22h15. O IndieLisboa encerrou com Eu Não Sou o Teu Negro, de Raoul Peck, em antestreia nacional.

Palmarés

Longas-metragens

Grande Prémio Cidade de Lisboa: Viejo Calavera, de Kiro Russo

Prémio Especial do Júri: Arábia, de Affonso Uchôa e João Dumans

Melhor Longa Portuguesa: Encontro Silencioso, de Miguel Clara Vasconcelos

Prémio Indie Music: Tony Conrad: Completely in the Present, de Tyler Hubby

Prémio Universidades: El Mar la Mar, de Joshua Bonnetta e J. P. Sniadecki

Curtas-metragens

Grande Prémio: Close Ties, de Zofia Kowalewska

Melhor Animação: 489 Years, de Hayoun Kwon

Melhor Documentário: The Hollow Coin, de Frank Heath

Melhor Ficção: Le Film de l’Été, de Emmanuel Marre

Melhor Curta Portuguesa: Miragem Meus Putos, de Diogo Baldaia

Prémio Novo Talento: Flores, de Jorge Jácome

Prémio Novíssimos: Os Corpos que Pensam, de Catherine Boutaud

Prémio do Público: Scris/Nescris, de Adrian Silisteanu

Prémio do Público Indie Junior: Litterbugs, de Peter Stanley-Ward; e The Sled, de Olesya Shchukina

Sobre Paulo Portugal 765 artigos
Insider Cinema, festivais, entrevistas e críticas. E algo mais.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*


Google Analytics